Começando, aprendendo, mexendo...

terça-feira, outubro 11, 2005

Espirros.

Você sabe o que é rinite? Conhece alguém que tenha? Nem queira conhecer.
Desde que eu me conheco por gente tenho rinite. Espirros, espirros, corizas, irritação e mais espirros. Acho que isso é genético, tenho alergia a poeira, ambientes sujos e fumaça de cigarro. Ótimo! Minha mãe fuma! É difícil passar um dia sem espirrar, sem precisar de um lenço. Muito ruim, pois quando tenho crise não consigo conviver normalmente com as pessoas. Sinto-me como se todos estivessem me olhando, com nojo... por isso prefiro ficar em casa. Enquanto escrevo esse texto já parei mais de cinco vezes para "fungar", coçar o nariz. Sim! Hoje estou com rinite.
Achava que ia crescer e ia aprender a conviver com esses espirros, mas hoje sei que é impossível. Não é uma coisa que você consiga se acostumar, esquecer e levar uma vida normal. Você sempre precisará estar com um remédio no bolso, com um lenço de papel... isso sem contar no detalhe do nariz vermelho e escorrendo e os olhos lagrimejandos. Horrível! Talvez se a minha mãe não fumasse eu teria tantas crises. Espero que um dia ela pare. Aliás, ela vai parar. Por bem ou por mal. Vamos torcer para que seja por bem.

Abraços a todos.

segunda-feira, outubro 10, 2005

Rio Novo - MG

Acho que tudo começou quando a Tia Lúcia, mãe do meu amigo Victor, começou a namorar o Jamil. A família do Jamil é de Rio Novo, uma cidade interiorana de Minas Gerais, bem perto de Juiz de Fora. Sem dúvida a melhor cidade que uma pessoa pode escolher para passar um fim de semana, um feriado ou o carnaval.
Normalmente quando eles viajam, me convidam para ir passar uns dias com eles. Até que chegou o dia de conhecer Rio Novo. O Victor já havia ido com o Dudu, um outro amigo, e desde desse dia eles não pararam de falar nessa cidade. Pensei: existe algo de incrível lá! E realmente existe. É difícil descrever com palavras como é a cidade, mas vou tentar. Imaginem uma praça, com alguns bancos e ao redor apenas bares e algumas casas antigas. Pronto! É só isso! A cidade realmente não tem nada, talvez essa seja a graça. O clima de lá é muito hospitaleiro, as meninas são lindas, muito simpáticas e o povo em geral é muito animado.
Dei a sorte de ir conhecer Rio Novo em pleno carnaval de 2004, a cidade estava lotada. Eu, Ramon e Victor que fomos nesse carnaval e dessa vez não chegamos a alugar nenhuma casa, ficamos na Dona Aparecida, mãe do Jamil. Foram 8 dias de zuada, bebida, diversão e muitas garotas. Conhecemos bastante gente, fizemos amizades que duram até hoje, enfim, muito legal.
Depois desse carnaval fomos para lá na maioria dos feriados, fins-de-semana prolongados e sempre que tivesse alguma oportunidade. Em outubro desse mesmo ano, eu e Dudu já estávamos organizando o que seria o carnaval mais incrível de todas as nossas vidas. Alugamos uma casa, programamos tudo, chamamos os nossos melhores amigos e partimos para lá. Dessa vez ia ser só a gente. A primeira viagem sem os pais da maioria da galera. Tudo correu tranqüilo, exeto por alguns probleminhas, mas que não afetaram em nada. Zuada, cachoeiras, conversas, bebida, mulheres. Foi tudo muito bom! Deixamos Rio Novo planejando o nosso próximo carnaval, o de 2006.
O ano passou e chegou a hora de reeorganizar. Já estamos em outubro e dessa vez iremos levar mais amigos. Estamos correndo atrás de casas e camisas. Vai sair tudo certo. Esse promete ser o melhor de todos!

Vamos esperar.

Abraços a todos.

domingo, outubro 09, 2005

Furos, sangue e dor.

Alguns acham estranho quando me perguntam sobre o que eu gosto. Entre as coisas básicas do tipo sair com os amigos, dormir, ouvir música existe uma um pouco incomum: Modificações Corporais.
Muitos fazem piercings e tatuagens totalmente por "modinha", ou porque viram uma atriz na televisão com um ou porque querem ficar mais "sexy"(?). Já eu não, gostaria que ao menos algumas pessoas entendessem o que eu sinto ao colocar um piercing ou ao me modificar em geral. Não adianta falar que amanhã ou depois eu vou me arrepender porque eu acho difícíl.
É estranho. Às vezes sinto como se um pedaço de mim estivesse faltando, como um quebra-cabeça que você perdeu a última peça, - não que sem esses piercings eu seja infeliz ou coisa do tipo, apenas sinto que com um posso melhorar e muito - então busco nessas modificações um preenchimento desse espaço vazio. Após colocar um piercing é visível alterações no meu humor, no meu ego e na minha auto-estima. Não pelas pessoas olharem e ficarem assustadas - pois alguns deles não são visíveis - mas pelo fato de saber que estou completo, pelo menos por aquele instante.
No momento possuo as orelhas alargadas com 20mm, um piercing no septo de 1.2mm indo para 1.6mm e um piercing no umbigo. São poucas devido à "repressão" que sofro por parte de minha avó, mas entendo, ela viveu em outra época e não consegue ver as coisas como eu. Acho que ela deveria aceitar mais, pois já cansei de explicar o porquê disso e que não é uma forma de mutilação mas é difícil.
Ainda pretendo fazer muitas outras coisas, alargar mais minha orelha, fazem mais piercings, tatuagens e talvez alguma scar. Mas é importante sempre lembrar que eu tenho a vida toda pela frente. Ou não.

Abraços a todos.

sábado, outubro 08, 2005

Tudo tem um começo.

Bom, sei que ninguém vai ler isso mas não tem problema. Vai ser um lugar onde eu vou postar o que estiver afim, fotos, textos, trabalhos, pensamentos... tudo. Às vezes preciso de um lugar pra escrever alguma coisa, algo que eu tenho pensado sobre.
Então vamos lá. Me chamo Leandro Quaresma, tenho 17 anos, no momento estou começando o quarto bimestre do terceiro ano do ensino médio, no Colégio de Aplicação, na cidade de Vassouras, no estado do Rio de Janeiro, Brasil. Gosto de estudar e isso tem sido necessário, pois há a necessidade de passar em um vestibular para cursar Desenho Industrial. Desde o início desse ano que eu me identifiquei com essa profissão e estou realmente animadíssimo para começar. Pretendo cursar na ESDI - Escola Superior de Desenho Industrial - no Rio de Janeiro.
Moro com a minha mãe Ana Claudia, minha avó Léa, meu tio Ricardo e minha irmã Kamila que são pessoas que eu gosto bastante. Tenho alguns amigos que amo bastante e que estão sempre presentes na minha vida, seja nos momentos bons ou nos momentos ruins.

Por enquanto é só, em breve vou dar uma reformulada nisso aqui, postar mais coisas, falar mais sobre mim.

Abraços a todos.